VIVER ENFERMAGEM EM CUIDADOS INTENSIVOS

segunda-feira, 18 de abril de 2016

ABCESSO E EDEMA AGUDO DO PULMÃO... RX TORAX E CARECTERÍSTICAS





EDEMA AGUDO DO PULMÃO

O edema pulmonar agudo, também chamado de edema agudo do pulmão (EAP), é uma emergência médica causada pelo extravasamento de água dos vasos sanguíneos para o tecido pulmonar, tornando a respiração difícil. Na prática, uma pessoa com EAP comporta-se como se estivesse se afogando.

COMO SURGE O EDEMA PULMONAR AGUDO?

O edema do pulmão possui o mesmo mecanismo fisiopatológico de qualquer edema em nosso corpo, ocorrendo sempre que há extravasamento de água dos vasos sanguíneos para algum tecido.

Ao contrário do que se possa imaginar, os nossos vasos sanguíneos não são tubos impermeáveis, eles apresentam poros que permitem a saída e entrada de células, bactérias, proteínas e água.

O edema do pulmão ocorre basicamente por dois mecanismos:

1. Aumento da pressão dentro dos vasos sanguíneos - Quando a pressão fica muito elevada dentro dos vasos do pulmão, a água do sangue tende a “sorar” através dos poros, indo se acumular dentro do tecido pulmonar, principalmente nos alvéolos, que são as estruturas que realizam as trocas gasosas.

2. Aumento da permeabilidade dos vasos - Algumas doenças, que serão explicadas a seguir, causam um aumento nos poros dos vasos sanguíneos, tornando-os mais permeáveis, o que facilita o extravasamento de água.

CAUSAS DO EDEMA PULMONAR AGUDO

1. Insuficiência cardíaca congestiva
2. Infarto agudo do miocárdio
3. Crise hipertensa
4. Doença das válvulas do coração.
5. Insuficiência renal
6. Infecções.
7. Altitudes elevadas
8. Drogas
9. Lesão neurológica



SINTOMAS DO EDEMA PULMONAR

Dependendo da causa, o quadro de edema pulmonar pode se desenvolver lentamente ou de modo súbito, este último chamado de edema agudo do pulmão.

Nos doentes que vão acumulando líquido no pulmão de forma lenta e progressiva, os sintomas do edema pulmonar começam com intolerância aos esforços, cansaço (mesmo em repouso), falta de ar quando se deita, havendo necessidade de usar pelo menos dois travesseiros para dormir, edemas nos pés e tornozelos e chiado no peito. Esse quadro é típico nos pacientes com insuficiência cardíaca, que apresentam piora gradual da função do coração e progressiva congestão pulmonar.

Se este mesmo doente apresentar um fator de descompensação da sua insuficiência cardíaca, como um enfarte, um pico hipertensivo ou mesmo um infecção grave, o coração subitamente torna-se incapaz de bombear adequadamente o sangue para o corpo, havendo, então, uma quadro agudo de retenção de líquidos no pulmão. Neste caso, os sintomas do edema agudo pulmonar são intensa falta de ar, sensação de afogamento, agitação, tosse com secreção espumosa, incapacidade em se deitar e taquicardia (coração acelerado).

A água no pulmão impede a oxigenação do sangue e funciona basicamente como um afogamento. O edema agudo do pulmão é uma emergência médica e se não tratado a tempo, fatalmente levará à paragem cardiorespiratória.

Ligação Referência:
http://www.mdsaude.com/2011/10/edema-pulmonar-agudo.html

ABCESSO DO PULMÃO

Um abcesso do pulmão é uma cavidade cheia de pus no pulmão, rodeada de tecido inflamado e provocada por uma infecção.

Causas

A causa habitual da formação de um abcesso é a aspiração de bactérias provenientes da boca e da garganta para o interior dos pulmões, provocando uma infecção. O organismo possui muitas defesas contra estas infecções, de tal modo que estas só se manifestam quando as defesas se encontram diminuídas; por exemplo, durante um estado de inconsciência ou de sonolência devido a sedativos, anestesia, abuso de álcool ou a uma doença do sistema nervoso.

Uma doença das gengivas é, muitas vezes, a fonte das bactérias, mas mesmo quando se aspira a saliva normal, esta contém bactérias suficientes para provocar uma infecção. Em algumas pessoas, especialmente as maiores de 40 anos, um tumor do pulmão pode provocar um abcesso pulmonar devido à obstrução de uma via respiratória.

A pneumonia provocada por certas bactérias, como o Staphylococcus aureus, a Legionella pneumophyla ou os fungos, pode causar um abcesso do pulmão. Em indivíduos com um sistema imunitário deficiente, os microrganismos menos comuns podem ser a causa. As causas excepcionais incluem êmbolos pulmonares infectados e infecções difundidas pela corrente sanguínea.

Uma pessoa desenvolve, habitualmente, um só abcesso do pulmão, mas quando aparecem outros, é característico que estes se desenvolvam no mesmo pulmão. Podem formar-se muitos abcessos dispersos quando a infecção chega ao pulmão pela corrente sanguínea.

Este problema é mais frequente entre os toxicodependentes que utilizam seringas não esterilizadas.

Finalmente, a maior parte dos abcessos rebenta dentro da árvore respiratória, produzindo uma grande quantidade de expectoração, que necessita de ser expulsa com a tosse. Além disso, um abcesso que rebenta deixa no pulmão uma cavidade que se enche de líquido e de ar. Às vezes um abcesso que se derrama na cavidade pleural (o espaço compreendido entre as duas camadas da membrana que reveste o pulmão e a parede torácica) enche-se de pus, provocando um processo chamado empiema.

Em casos raros, um abcesso grande rebenta dentro de um brônquio (um dos dois ramos principais que leva ar ao pulmão) e o pus derrama-se no pulmão, provocando pneumonia e a síndroma de dificuldade respiratória aguda do adulto. Pode produzir-se uma hemorragia grave se um abcesso destrói a parede de um vaso sanguíneo.



Sintomas e diagnóstico

Os sintomas podem começar lenta ou repentinamente. Os sintomas iniciais assemelham-se aos da pneumonia: cansaço, perda do apetite, sudação, febre e tosse que produz expectoração. Esta expectoração pode estar tingida de sangue e é frequente que tenha um odor muito desagradável por causa das bactérias provenientes da boca ou da garganta, que tendem a produzir cheiros fétidos. A pessoa pode sentir, além disso, dores no tórax ao respirar, especialmente quando a pleura estiver inflamada

É possível diagnosticar um abcesso do pulmão baseando-se somente naqueles sintomas e no que for descoberto durante um exame clínico. No entanto, o médico suspeita realmente de um abcesso do pulmão quando os sintomas semelhantes à pneumonia se apresentam em indivíduos que têm determinados problemas, como uma perturbação do sistema nervoso ou um problema de abuso de álcool ou de drogas ou um episódio recente de perda de consciência por qualquer motivo.

As radiografias ao tórax revelam, habitualmente, o abcesso do pulmão. No entanto, quando uma radiografia só sugere um abcesso, necessita-se, habitualmente, de um exame do tórax com uma tomografia axial computadorizada (TAC). As culturas da expectoração podem ajudar a identificar o microrganismo que causa o abcesso.

Ligação Referencia: 
http://www.manuaismsd.pt/?id=68









SE GOSTA DA PÁGINA VIVER ENFERMAGEM EM CUIDADOS INTENSIVOS
E AINDA NÃO FEZ LIKE, PODE FAZER ABAIXO.
SE JÁ FEZ, CONTINUE POR AQUI ;)

OBRIGADO A TODOS ;)


OS 10 POSTS MAIS VISTOS DE SEMPRE