VIVER ENFERMAGEM EM CUIDADOS INTENSIVOS

terça-feira, 3 de maio de 2016

ATEROESCLEROSE GUIA RÁPIDO E VIDEO TÉCNICAS DE REMOÇÃO DE ATEROMA... "É UMA CONDIÇÃO DA NOSSA SOCIEDADE..."






ATEROSCLEROSE 

Já tem alguns dias que iniciei este post mas tenho mantido em rascunho porque tenho dado prioridade a outros que entretanto tenho publicado...
... hoje por força de num contacto que tive... decidi terminar na tentativa de ir ao encontro da solicitação...



A Fundação Portuguesa de Cardiologia nas palavras do Dr. Pedro Marques da Silva entende que:



Segundo esta organização a ateriosclerose é muito mais que a deposição de gorduras nas paredes dos vasos:

"O aparecimento e o desenvolvimento da aterosclerose é, tradicionalmente, olhada como uma doença em que as gorduras da circulação (o colesterol) se depositam, ao longo de anos e décadas, na parede das artérias e que acabam por formar um obstáculo, maior ou menor, ao fluxo de sangue numa determinada artéria, num determinado órgão (coração, cérebro, rim ou membros inferiores). Esta seria a causa última da trombose (entupimento do vaso) e da necrose (morte) dos tecidos afetados." FONTE: FPC



"No entanto, a lesão de aterosclerose nas artérias, não é uma simples obstrução, mas é um processo inflamatório. A placa de aterosclerose – plena de gorduras, de células do sangue e dos elementos que formam a parede dos vasos – é capaz de, em qualquer momento, ver interrompida a sua progressão, a sua evolução, por um evento agudo, uma ocorrência súbita, capaz de provocar rotura da placa, o contacto do sangue com os seus constituintes, a estimulação das plaquetas (célula do sangue que participa na coagulação) e o desenvolvimento da trombose, com a interrupção súbita do fluxo sanguíneo." FONTE: FPC


Complementado com a consulta deste artigo da responsabilidade da Harvard Medical School - Portugal Program:

FONTE: HMSCHOOL - PORTUGAL

"A aterosclerose é um estreitamento das artérias que pode reduzir significativamente o fornecimento de sangue a órgãos vitais como o coração, o cérebro e os intestinos. Na aterosclerose, as artérias são estreitadas quando depósitos de gordura denominados placas se acumulam no seu interior. As placas contêm tipicamente colesterol constituído por lipoproteínas de baixa densidade (LDL), células musculares lisas, tecido fibroso e, por vezes, cálcio. À medida que uma placa cresce ao longo do revestimento de uma artéria, produz uma área rugosa na superfície normalmente lisa da artéria. Esta área rugosa pode conduzir à formação de um coágulo de sangue dentro da artéria, o qual pode bloquear completamente o fluxo de sangue. Consequentemente, o órgão abastecido pela artéria bloqueada fica sem receber sangue nem oxigénio e as células desse órgão podem morrer ou sofrer uma lesão grave."FONTE: HMSCHOOL - PORTUGAL



"A aterosclerose constitui a causa principal de morte e de incapacidade nas nações industrializadas, sendo o problema médico subjacente na maior parte dos indivíduos com qualquer das seguintes doenças:

  • Doença coronária
  • Acidente vascular cerebral
  • Angina abdominal e enfarte intestinal
  • Aterosclerose dos membros

Os factores que aumentam o risco de desenvolvimento de aterosclerose incluem:
  • Nível elevado de colesterol no sangue (hipercolesterolémia)
  • Nível baixo de colesterol HDL (o “colesterol bom”)
  • Níveis elevados de proteína C reactiva, um marcador de inflamação
  • Pressão arterial elevada (hipertensão)
  • Diabetes
  • História familiar de doença coronária numa idade precoce
  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Inactividade física (pouco exercício físico regular)
  • Idade avançada

Manifestações clínicas 
A aterosclerose geralmente não causa quaisquer sintomas até o fornecimento de sangue para um órgão ser reduzido. Quando isto acontece, as manifestações variam, dependendo do órgão específico envolvido:

Coração – As manifestações incluem dor no peito (angina) e falta de ar, suores, náuseas, tonturas ou palpitações.

Cérebro – Quando a aterosclerose estreita as artérias cerebrais pode causar tonturas ou confusão, fraqueza ou paralisia num dos lados do corpo, entorpecimento súbito e intenso de qualquer parte do corpo, perturbações visuais (incluindo perda súbita da visão), dificuldade em andar (incluindo cambalear ou guinadas súbitas), problemas da coordenação dos braços e das mãos e fala arrastada ou incapacidade para falar. Se os sintomas desaparecerem em menos de 24 horas, o episódio é denominado de acidente isquémico transitório (AIT). Quando a aterosclerose bloqueia completamente as artérias cerebrais e/ou as manifestações duram mais tempo, o episódio é geralmente denominado de acidente vascular cerebral (AVC).

Abdómen – Quando a aterosclerose estreita as artérias dos intestinos, pode surgir uma dor surda ou tipo cãibra no meio do abdómen, começando geralmente 15 a 30 minutos depois de uma refeição. O bloqueio completo de uma artéria intestinal causa uma dor abdominal intensa, por vezes acompanhada de vómitos, diarreia ou aumento do volume abdominal.


Pernas – O estreitamento das artérias da perna causa uma dor tipo cãibra nos músculos da perna, especialmente durante o exercício. Se o estreitamento for grave, pode existir dor em repouso, os dedos e os pés podem ficar frios, pálidos ou azulados e pode ocorrer perda dos pêlos das pernas.

Prevenção 

É possível ajudar a prevenir a aterosclerose ao alterar os factores de risco para a doença. Deve praticar um estilo de vida que promova uma boa circulação e que combata a arteriosclerose:

  • Evitar fumar. Se fumar, é essencial deixar de o fazer.
  • Manter um peso saudável. A obesidade, especialmente a concentração de gordura corporal em volta da cintura, tem sido associada a níveis pouco saudáveis de colesterol HDL e de triglicéridos.
  • Manter uma dieta saudável que seja rica em vegetais e fruta. Evitar as gorduras saturadas e trans. Uso de gorduras monoinsaturadas (azeite) e polinsaturadas (girassol, açafroa, amendoim, canola) para cozinhar. As proteínas dietéticas devem ser fornecidas principalmente pelo peixe e fontes vegetais (soja, feijão, legumes).
  • Fazer exercício regularmente.
  • Controle da hipertensão arterial, podendo ter que haver necessitade de tomar medicamentos para se conseguir. 
  • Na diabetes, é necessário trabalhar ainda mais afincadamente para controlar o peso, fazer mais exercício físico, reduzir os níveis de colesterol LDL e de triglicéridos e manter a pressão arterial em valores inferiores a 130/85 mmHg.
  • Se não tiver diabetes, deve-se fazer o despiste precoce por isso deve-se efectuar um teste da glicémia em jejum com intervalos de poucos anos se existirem factores de risco para a diabetes (excesso de peso, pressão arterial elevada ou colesterol elevado) depois dos 45 anos.
  • É necessário conjugação de esforços com o médico assistente no sentido de manter níveis de colesterol adequados. Mesmo não havendo problemas com o colesterol, deve deincentivar à  verificação do colesterol em intervalos de cinco anos a partir dos 20 anos de idade.



DEIXO EM JEITO DE COMPLEMENTO ESTE VÍDEO ACERCA DAS VÁRIAS ABORDAGENS CIRÚRGICAS NA REMOÇÃO DE PLACAS DE ATEROMA




Ligações Referencia:















SE GOSTA DA PÁGINA VIVER ENFERMAGEM EM CUIDADOS INTENSIVOS
E AINDA NÃO FEZ LIKE, PODE FAZER ABAIXO.
SE JÁ FEZ, CONTINUE POR AQUI ;)

OBRIGADO A TODOS ;)


OS 10 POSTS MAIS VISTOS DE SEMPRE